Palavra do Bispo

Nas pistas da verdade

“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6)

Existe um ditado popular, constatando que existem momentos em nossas vidas, em que é difícil encontrar a coragem de “enxergar a verdade com próprios olhos”. A aceitação da verdade existencial sobre nós mesmos ora é fácil, ora é difícil. Isso depende das diversas circunstâncias da vida, sejam elas emocionais, afetivas, sociais, materiais, referências morais e também do momento. Muitas vezes temos medo desta verdade, porque é mais fácil encontrar uma ilusão sobre se mesmo do que enfrentar a verdade desafiadora.
Mas o que é a verdade?
Pilatos também teve dificuldades para entender o conteúdo da verdade. Após seu interrogatório, perguntou a Jesus: “O que é a verdade?” E assim, concluiu em seguida: “Eu não encontro nele crime algum.” (Jo 18,38) Se Pilatos tivesse a consciência de que o próprio Jesus é “o Caminho, a Verdade e a Vida e que ninguém “vai ao Pai senão por Ele” (Jo 14,6), tudo teria sido diferente.
Se nos aprofundarmos um pouco mais pelas linhas da antropologia moderna, podemos perceber que esta não é ligada com a dimensão transcendental monoteísta. Tal pensamento é típico das culturas politeístas grega e romana. O fruto mais trágico desse pensamento é que a humanidade de hoje não se encontra mais em unidade com Deus. Eis a causa que Pilatos subjetivou a verdade e confundiu a moralidade. Não se referiu a Deus Pessoa, mas deu razão àquele que grita mais forte, quem pode ameaçar seu próprio status. Podemos concluir que a verdade subjetiva confundiu-se com a Verdade das Verdades, Deus Único e Verdadeiro. Pilatos, infelizmente, lavou as mãos e fracassou.
A consequência desse gesto é conhecida por todos: Jesus foi crucificado! Mas nossa fé é pascal! Ela nos leva a crer que Jesus é vitorioso! Ressuscitou de verdade e confirmou o que disse antes: que somente Ele é “o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6)
Então, o que é a verdade pra nós e como distingui-la das falsas verdades?
Nossa melhor resposta sempre será encontrada no Senhor. A Verdade Universal – Deus – deve ser sempre a nossa referência existencial e moral. Tal verdade, verificada na moral normativa dos dez mandamentos nos leva à luz e à felicidade eterna.
As verdades ideológicas ou ideologizadas não iluminam a nossa vida. Pelo contrário, nos conduzem à escuridão do consumismo, à dependência dos vícios ou à miséria dos prazeres e objetivos confusos. Esse foi o caminho de Pilatos.
O discernimento cabe a cada um de nós.
Jesus então disse: “Se permanecerdes em minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8, 31-32)
Convido-os a pensar, refletir, rezar, confirmar a própria identidade religiosa e, assim fortalecidos pelo Espírito Santo, agir!

Nossa Senhora das Mercês, rogai por nós!
Com a minha benção,
D. Romualdo Matias Kujawski
Bispo Diocesano

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

PALAVRA DO BISPO

Dom Romualdo

Nomeado Bispo Diocesano de Porto Nacional 04 de Novembro de 2009.
Lema de seu episcopado.
STATE IN FIDE
" Estejam vigilantes, mantenham-se firmes na fé, sejam homens de coragem, sejam fortes."1Cor, 16,13

Agenda Diocesana

agosto 2019

dom seg ter qua qui sex sáb
1
2
  • Conselho P…
3
  • Encontro v…
4
  • Aniversari…
5
  • Romaria do…
6
  • Aniversari…
7
8
  • Aniversari…
9
10
  • Ordenação …
11
  • Crisma
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
  • Encontro V…
24
  • Terço dos …
25
26
27
  • Sinodo da …
28
  • Aniversari…
29
30
  • Forania de…
31
  • Posse do P…

FACEBOOK

Assine a nossa newsletter

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This