VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

Logo, logo, Catarina pôde juntar as mãos para agradecer à Santíssima Virgem

Vamos enfocar o primeiro de todos os milagres reconhecidos em Lourdes. Uma habitante de Loubajac (região de Lourdes, França), Catarina Latapie, conhecida como Chouat, tinha 38 anos, era agricultora e mãe de quatro filhos; em outubro de 1856, estava sobre um carvalho, e no momento em que forçava a queda de glandes  ─ frutos do carvalho ─, para alimentar seus animais domésticos, caiu da árvore. Foi então, fortemente atingida, sofrendo uma luxação, no braço direito, e ferindo gravemente a mão.

Os cuidados médicos puderam curar o braço, porém, dois dedos da mão direita mantiveram-se vergados e paralisados. Naquele início de 1858, já se falava de Lourdes, das aparições e da água milagrosa. Catarina, grávida do quinto filho, pensava em como cuidar do bebê que estava para nascer? Indo a Lourdes, talvez encontrasse a solução.

Na noite de 28 de fevereiro a primeiro de março, Catarina Latapie se sentiu atraída pela gruta e se dirigiu ao local das aparições, distante 6 km de onde vivia. Levava consigo os dois filhos mais novos, ainda crianças. Estamos, então, no dia primeiro de março de 1858, dia da 12ª aparição de Nossa Senhora a Bernadete Soubirous. Chegando em Massabielle, Catarina começou a rezar, mesmo não sendo muito devota de Maria. Seguindo até o fundo da gruta, mergulhou as mãos no lago, cheio de água, e ainda com muita terra. Imediatamente, seus dedos recobraram a flexibilidade e a mobilidade e Catarina conseguiu juntar as duas mãos para rezar, agradecendo à Virgem Maria.

Foi, então, que começou a sentir as primeiras dores do parto. De imediato, pediu à Virgem que lhe concedesse uma segunda graça; a de ter tempo de retornar a Loubajac, para que seu filho nascesse. As dores desapareceram. Catarina tomou o caminho de volta e, ao chegar a Loubajac, deu à luz ao menininho que recebeu o nome de João Batista e que, ao tornar-se adulto, foi ordenado padre.

Sua cura milagrosa foi reconhecida, quatro anos depois, por Monsenhor Laurence, bispo de Tarbes. Este foi o primeiro milagre de Lourdes.

Ichou 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER