VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

A imagem da Virgem em todas as bandeiras!

Mais de um século após a derrota de Lepanto (1571), em 1683, os turcos tentaram dirigir-se à Europa ocidental, por via terrestre. O grão-vizir

Mais de um século após a derrota de Lepanto (1571), em 1683, os turcos tentaram dirigir-se à Europa ocidental, por via terrestre. O grão-vizir

Mais de um século após a derrota de Lepanto (1571), em 1683, os turcos tentaram dirigir-se à Europa ocidental, por via terrestre. O grão-vizir contava com a força de 150 mil ou 300 mil homens e asseverava que iria tomar Belgrado (Sérvia), Buda (hoje, Hungria), Viena (Áustria) e chegar à Itália, descendo a Roma “até o altar de São Pedro”.

Em agosto de 1683, um capuchinho italiano, grande místico, Marco d´Aviano ─ beatificado por João Paulo II ─ fora nomeado grande capelão de todos os exércitos da Europa. Ele soube incentivar Viena, dando-lhe coragem e ânimo e conseguiu convencer o rei da Polônia, Jan Solbieski, a socorrer a capital, no momento em que ele possuía, apenas, 40.000 homens.

A capital estava sitiada desde 14 de julho, daquele ano, e sua rendição aconteceria em poucas horas. O rendimento das forças não estava a favor das tropas europeias. Entretanto, Viena se confiava à intercessão da Virgem Maria e a imagem dela estava em todas as bandeiras.

No dia 11 de setembro de 1683, sobre o Kahlenberg que domina a cidade, Padre Marco, capuchinho, celebrava a missa, servida pelo rei polonês, diante do exército e predisse uma vitória indizível.

As tropas conduzidas por João III Sobieski e pelo Duque Charles de Lorraine atacaram os otomanos na madrugada do dia 11 de setembro. Mulheres e crianças rezavam nas igrejas, implorando a ajuda da Virgem Maria. E eis que, à noite, daquele 11 de setembro, a bandeira do grão-vizir caiu nas mãos de Sobieski: e o perigo da tomada de Roma caiu por terra

Roma, 11 de setembro de 2015 (ZENIT.org, em Francês)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER