VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

A patinadora católica Yuna Kim e o Rosário

Condecorada com a medalha de ouro olímpica, a coreana, católica, Yuna Kim, acendeu a tocha, durante a cerimônia de abertura dos Jogos olímpicos de 2018, em Pyeongchang, na Coreia do Sul, no dia 9 de fevereiro de 2018.

Yuna Kim sempre exprimia o desejo de utilizar seu desempenho público, para partilhar a luz de Cristo, testemunhando sua fé católica, nas competições e performances internacionais.

Kim teve a honra de ser a portadora da tocha olímpica e de acender o caldeirão olímpico dos jogos deste ano, na sequência de um patinador da Coreia do Norte e outro, da Coreia do Sul, que, sucessivamente, se revezaram acendendo a chama.

Após fazer o sinal da Cruz, entrando na pista de patinação, para levar a medalha de ouro dos jogos olímpicos de 2010, em Vancouver, Kim formou uma equipe com os bispos coreanos, para uma campanha nacional do Rosário e seus fãs puderam observar, no dedo da esportista, um terço em forma de anel, durante o seu desempenho, que lhe rendeu a medalha de prata nos jogos de 2014, em Sotchi.

A desportista olímpica se converteu à fé católica, junto à sua mãe, em 2008, após ter encontrado algumas religiosas de organizações católicas locais, através de seu médico pessoal ─ igualmente católico ─, que a tratava de lesões no joelho. Ao ser batizada, Kim optou por chamar-se “Stella”, nome de um dos títulos de Nossa Senhora ─ Maria, Estrela do Mar.

 

 

Courtney Grogan com Addie Mena

Seul, Coreia do Sul, 9 de fevereiro de 2018

CNA

ASSINE NOSSA NEWSLETTER