Sem categoria

“Com Jesus passamos de mendigos a discípulos”, diz papa Francisco

Audiência Geral reuniu centenas de peregrinos na praça São Pedro

Em audiência geral nesta quarta-feira, 15, o papa Francisco recebeu centenas de peregrinos na Praça São Pedro. Na catequese, o pontífice refletiu sobre a cura do cego de Jericó.

“Naqueles tempos, mas até pouco tempo atrás, um cego só podia viver de esmolas. A figura deste cego representa tantas pessoas que, também hoje, se encontram marginalizadas por causa de um problema físico e ou de outro gênero”, disse Francisco.

“Na beira da estrada, o cego é apartado e reprovado pela multidão, porque clama por Jesus. Não sentem compaixão por ele, pelo contrário, se sentem incomodados com seus gritos”, afirmou o papa.

Indiferença e hostilidade

Francisco indagou aos presentes sobre quantas vezes vemos pessoas nas ruas doentes, sem comida e nos sentimos incomodados. “Vemos refugiados e isso nos incomoda. É uma tentação que todos temos, até eu. E por vezes, a indiferença e a hostilidade se transformam em agressão e insulto”, enfatizou.

“A indiferença e a hostilidade tornam cegos e surdos, impedem de ver os irmãos e não permitem reconhecer neles o Senhor”, completou o papa.

O pontífice explicou ainda que na passagem, sem se deixar intimidar, o cego clama várias vezes, reconhecendo Jesus como Filho de Davi, o Messias aguardado. “Diferentemente da multidão, este cego vê com os olhos da fé. Graças a ela, a sua súplica tem uma eficácia poderosa. Jesus então tira o cego da margem da estrada e o coloca no centro da atenção dos seus discípulos e da multidão. Pensemos em nossas situações ruins, de pecado: Jesus segura a nossa mão e nos conduz ao caminho da salvação”, afirma.

“Deste modo, obriga todos a se conscientizarem de que a boa nova implica colocar no centro do próprio caminho quem está excluído. A passagem do Senhor é um encontro de misericórdia que reúne todos em volta Dele para permitir reconhecer quem necessita de ajuda e de consolação”, disse ainda o papa.

Por fim, o papa cita a parte em que Jesus pergunta o que o cego deseja. Este por sua vez responde chamando-o não mais de “Filho de Davi”, mas “Senhor” e pede para que recupere sua visão. O seu desejo então é atendido com as seguintes palavras: “Vê, a tua fé te salvou”.

O cego recupera a visão e, sobretudo, se sente amado por Jesus. Por isso, decide segui-lo, e se tornar discípulo. “De mendigo a discípulo. Todos nós somos mendicantes, passamos de mendigos a discípulos. Quem queriam calar, agora testemunha em alta voz o seu encontro com Jesus de Nazaré. Verifica-se então um segundo milagre: a cura do cego permite que também a multidão veja além das aparências. Assim Jesus derrama a sua misericórdia sobre todos os que encontra. Deixemos que Jesus nos cure, nos perdoe”, concluiu o papa.

Com informações da Rádio Vaticano

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

PALAVRA DO BISPO

Dom Romualdo

Bispo de Porto Nacional (TO)

Agenda Diocesana

outubro 2021

dom seg ter qua qui sex sáb
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

FACEBOOK

Assine a nossa newsletter

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This