VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

E se esta fosse a hora do teu despertar?

Sim, a festividade da Assunção é fonte de grande esperança. Quando a Virgem Maria experimenta ─ a primeira, após Jesus ─ a alegria da ressurreição, nós nos sentimos reforçados na certeza de que Deus mantém suas promessas e que jamais nos abandonará.

Eu gostaria que nosso país olhasse para Maria como mãe, como um rio olha para a sua fonte, a fim de encontrar sua inspiração e seu entusiasmo. Maria exprime o centro, o coração de sua vocação, já nas primeiras palavras que pronuncia: “Eis a serva do Senhor.” Não seria esta, também, a vocação da França, como sugeriu o Papa João Paulo II, quando de sua primeira viagem em nosso país, em 1980?

“França, Filha primogênita da Igreja, és fiel às promessas do teu batismo? Permite-me perguntar: França, Filha da Igreja e educadora dos povos, és fiel, para o bem do homem, à aliança com a sabedoria eterna?” Este apóstrofe, eu gostaria de estender e prolongar agora, perguntando: “França, esta é a hora do teu despertar?”

Quando ouço Maria cantar: “Sua misericórdia se estende de geração em geração”, tenho a impressão de que ela resume, em poucas palavras, tudo o que representa, para ela, a mensagem da Bíblia. Esta é a frase central do seu cântico. Sim, como Maria, podemos agradecer a Deus, que faz maravilhas por nós; misericórdia jamais desmentida.

Monsenhor Philippe Barbarin, Cardeal arcebispo de Lyon (França)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER