Sem categoria

ECONOMIA E JUSTIÇA Por, Dom Fernando Arêas Rifan.

Estou em Portugal, Sintra, a convite, onde acabo de participar, de 16 a 19 de janeiro, de um Congresso internacional para Bispos, com a presença de cerca de 124 Bispos, incluindo 5 Cardeais, de 43 países, promovido pelo Acton Institute, instituição universitária voltada para estudos de economia e sociologia à luz da Doutrina social da Igreja. O congresso deste ano versou sobre: “Liberdade, Justiça e Economia em uma Era Global”.

Portugal é uma terra abençoada, que abriga o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, onde a Virgem apareceu aos Três Pastorinhos, transmitindo a sua séria mensagem sobre a necessidade da oração e da penitência diante dos graves problemas contemporâneos.

A Doutrina Social da Igreja, tratada nesse congresso, abarca todos os problemas da chamada “Justiça Social”. Eis o que o seu Magistério nos ensina:

Sobre a Liberdade: “o homem, porque foi criado à imagem de Deus, é inseparável da liberdade, daquela liberdade que nenhuma força ou constrangimento exterior jamais poderá tirar-lhe e que constitui seu direito fundamental, quer como indivíduo quer como membro da sociedade. O homem é livre porque possui a faculdade de se determinar em função da verdade e do bem” (S. João Paulo II, mensagem para o Dia Mundial da Paz de 1981). “Não há moral sem liberdade e é por ela que o homem se pode converter ao bem… Deus quis ‘deixar o homem entregue à sua decisão’ (cf. Sr 15,14), para que busque por si mesmo o seu Criador e livremente chegue à perfeição total e beatífica, aderindo a Ele’ (GS n. 17). Se existe o direito de ser respeitado no próprio caminho em busca da verdade, há ainda antes a obrigação moral, grave para cada um, de procurar a verdade e de aderir a ela, uma vez conhecida (Cf. Dignitatis Humanae, n. 2)” (S. J. Paulo II, Veritatis Splendor, n. 34).

Sobre a Justiça Social: “O Estado de direito é a condição necessária para estabelecer uma autêntica democracia. Para que esta possa se desenvolver, são necessárias a educação cívica e a promoção da ordem pública e da paz. Com efeito, não há democracia autêntica e estável sem justiça social. Por isso, é necessário que a Igreja ponha maior atenção na formação das consciências, prepare os dirigentes sociais para a vida pública em todos os níveis, promova a educação cívica, a observância da lei e dos direitos humanos e dedique um maior esforço para a formação ética da classe política” (S. João Paulo II, Ecclesia in America, 56).

Sobre a Economia: “O desenvolvimento das atividades econômicas e o crescimento da produção destinam-se a servir às necessidades dos seres humanos. A vida econômica não visa somente multiplicar os bens produzidos e aumentar o lucro ou o poder; ordena-se, antes de tudo, para o serviço das pessoas, do homem integral e de toda a comunidade humana. Conduzida segundo métodos próprios, a atividade econômica deve exercer-se dentro dos limites da ordem moral e segundo as normas da justiça social, a fim de corresponder ao desígnio de Deus sobre o homem” (Catecismo da Igr. Católica, n. 2426).

Artigo para dia 23 de janeiro de 2019, quarta-feira

*Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney

http://domfernandorifan.blogspot.com.br/

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

PALAVRA DO BISPO

Dom Romualdo

Bispo de Porto Nacional (TO)

Agenda Diocesana

janeiro 2021

dom seg ter qua qui sex sáb
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
  • Núcleo Lux…
27
28
29
30
31
Assine a nossa newsletter

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This