VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

“Esta é a resposta à minha Mãe”

Maria Valtorta (1) relata essas respostas de Jesus a respeito do seu encontro no Templo:

“Estás vendo a dor de Maria, minha Mãe, quando, no momento em que os grupos de homens e mulheres se reuniram, ela se deu conta de que eu não estava com José? Ela não se irritou nem brigou com o esposo, não o censurou de forma alguma. Qualquer outra mulher o teria feito. (…) Porém, a sua contida dor era evidente; estava trêmula, o rosto pálido, tinha os olhos dilatados; era uma cena mais forte do que seria um escarcéu de gritos e lágrimas. Ela não sentia cansaço ou fome. Mas deixou tudo: o leito que estavam preparando e a alimentação que seria distribuída e retornou. Já era tarde e a noite estava chegando. Mas isso não importava. (…)

Após três dias, que simbolizam três dias de sua futura angústia, Maria, extenuada, entrou no Templo, atravessou átrios e vestíbulos. Eis que minha Mãe ouviu, além da barreira de pessoas, a querida voz a dizer: Estas pedras estremecerão... Ela tentou abrir um caminho entre a multidão e, após muito esforço, conseguiu me encontrar. Lá estava eu, seu Filho, erguido, de braços abertos, entre os doutores. Maria é a Virgem prudente, mas, desta vez, a tristeza a fez sair de sua restrição. Era como um furacão a derrubar todos os obstáculos. Ela correu até o Filho, abraçou-o, levantou-o da cadeira, deixando-o de pé e clamou:

Óh! Filho, por que fizeste isso, conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos. Tua mãe estava morrendo de tristeza e teu pai de cansaço. Por quê, Jesus?

Àqueles que são chamados, não se pergunta “por quê?”; esses deixam tudo para seguir a voz de Deus. Eu era a Sabedoria e estava ciente disso. Tinha sido “chamado” para uma missão e eu a realizava. Acima do pai e da mãe da terra, está Deus, o Pai Divino. Seus interesses são superiores aos nossos, seus afetos ultrapassam todos os outros. Foi o que respondi à minha Mãe.

E terminei o ensinamento aos doutores por meio do que ensinei a Maria, Rainha dos doutores. O que ela jamais esqueceu. O sol retornou ao seu coração, enquanto me tomava pela mão, humilde e obediente; porém, minhas palavras ficaram guardadas em seu coração. Muitas alegrias e muitas tristezas iriam se alternar no coração de Maria, durante os vinte e um anos que viriam, mas ela não perguntaria nunca mais: “Por que fizeste isso, meu Filho?”

Maria Valtorta foi uma mística católica, membro da Ordem Terceira dos Servos de Maria, nascida em Caserta, Itália, em 14 de março de 1897, e finada em 12 de outubro de 1961, em Viareggio, Toscana (Itália).

Maria Valtorta

Trecho do tomo 1 do Evangelho como me foi revelado

ASSINE NOSSA NEWSLETTER