VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

José e Maria compreendem que a ordem das coisas se reverteu

José e Maria, vendo a criança adormecida, compreendem que a ordem das coisas havia se revertido. A ordem das coisas da vida, é que os pais desejam a criança e decidem o seu nascimento. Porém, quanto àquela criança, foi ela quem escolheu o seu pai e a sua mãe.

Desde toda a eternidade, o Pai dos Céus pensou nesta criança; foi para ela que os mundos foram criados, foi para ela que os profetas falaram; foi por ela que eles próprios foram atraídos para a virgindade e para o casamento. Uma grande luz envolve os dois, José e Maria, e sua ação de graças não tem limites.

Ter sido escolhido por Deus… Existe um sentimento, uma certeza que possa trazer mais felicidade e que possa tornar a oração mais adoradora? Tendo sido escolhido pelo próprio filho… Existe alegria mais admirável, mais singular para os pais? Ao passo que, em outros homens, a criança deve ser grata aos pais, pela vida que recebeu deles. No caso de Maria e de José, são eles que dão graças à criança e a Deus, seu Pai. (…)

E tem mais. Este filho, que vem de outro lugar, lhes foi confiado… Jesus… espera de seus pais a ciência dos homens, a proteção de sua infância e de sua juventude, a educação que fará dele o homem de uma época, de um meio, de uma raça, uma religião. Em favor de José e Maria, Deus se desfaz; por assim dizer, Deus confia neles. Aquele que os criou, inspirou, dirigiu, santificou para este minuto e para esta missão, Ele, o Pai, delega a sua paternidade.

 

Padre Caffarel, fundador das equipes Notre-Dame

Em Des équipes Notre-Dame à la Maison de prière, Parole et silence (Equipes Nossa Senhora de oração, Palavra e Silêncio) (páginas 62 e 63)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER