UM MINUTO COM MARIA

No entanto, a Virgem Santíssima me protegeu

No início do ano de 1923, um jovem de 16 anos entrou no hospital de Montargis (Loiret, França). Durante três meses, o capelão visitou-o diariamente, se informando sobre a sua saúde. O jovem, mesmo gravemente doente, sempre respondia à amável ​​saudação do padre.

Um dia, o paciente pediu à freira enfermeira que lhe trouxesse um catecismo e, como ela achou estranho o pedido, o rapazinho lhe explicou: “Eu quero me confessar e preciso de um catecismo, porque quero fazer tudo bem feito”.

Quando o capelão retornou, ele lhe contou: “Eu fiz a minha primeira comunhão, há quatro anos; e nada aconteceu, nada! Eu só me lembro das roupas bonitas que eu usava. E me lembro, também, do dia em que, enquanto um de nós lia o Ato de consagração à Santíssima Virgem, olhando para a estátua de Maria, eu disse a ela: ‘É provável que eu seja um nada, um vadio na vida, mas não importa; assim mesmo, eu me consagro a vós e peço que a Senhora me proteja’. E, de fato, eu vivia como um patife, mas a Santíssima Virgem me protegeu, visto que ela me enviou esta doença, que me fez chegar aqui, dando-me a oportunidade de me confessar e de morrer reconciliado com o Senhor”.

O jovem viveu mais algumas semanas, sempre em grande devoção, e morreu como um santo.

Trecho de La retraite de 1ère communion (O retiro da 1ª Comunhão), de Arthaud

Segundo Le chapelet des enfants (O terço das ciranças)

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

PALAVRA DO BISPO

Dom Romualdo

Bispo de Porto Nacional (TO)

Agenda Diocesana

janeiro 2022

dom seg ter qua qui sex sáb
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

FACEBOOK

Assine a nossa newsletter

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This