VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

O Ano Jubilar: Cem Anos da Diocese de Porto Nacional

Com o Encontro de Espiritualidade e história da Diocese para o Clero e a Celebração da Santa Missa, na Catedral de Nossa Senhora das Mercês, a Diocese de Porto Nacional abriu solenemente o seu Ano Jubilar, nesta terça feira (01/07).

 O Encontro do Clero aconteceu no Centro de Espiritualidade da Comunidade Semente do Verbo (Palmas) e teve como principal objetivo a preparação espiritual dos padres para a vivência do ano jubilar diocesano, fazendo memória do que Deus fez pela Igreja particular de Porto Nacional, através da releitura da história pastoral da Diocese e da perene exigência da unidade presbiteral.

 Esteve presente no encontro o frade dominicano, Mariano Faralosso (São Paulo). Faralosso expôs a raiz dominicana na vida da Diocese de Porto Nacional. Ainda considerou o método da missão dominicana e sua influência na vida das pessoas.

 Os dominicanos estiveram na Diocese de Porto Nacional no período de meio século, de 1886 a 1936. A Diocese foi governada por três bispos dominicanos. O último foi Dom Celso Pereira de Almeida, falecido em 11/05 e sepultado na Catedral de Nossa Senhora das Mercês (Porto Nacional). Além dos bispos e frades, é ainda bastante significativa a presença das religiosas dominicanas que se destacam pela atuação na educação.

 Mons. Jones Ronaldo apresentou os traços mais importantes da história pastoral da Diocese, destacando a missão dos padres diocesanos e atuação dos bispos na pastoral. Jones destacou como a história da Diocese de Porto Nacional está ligada a história do Brasil. A Diocese foi criada depois do fim do padroado e anos depois da Proclamação da República em 1892, tempo em que a Igreja estava livre da tutela do Estado, e desta forma, pode viver mais para sua missão profética. O Primeiro Bispo, Dom Domingos Carrerot sempre esteve ao lado dos indígenas e dos sertanejos. Dom Alano Marie Du Noday pensou para além do seu tempo, preocupado com o bem estar dos seus diocesanos. Dom Celso Pereira de Almeida se fez defensor dos pobres e oprimidos, sentando-se nos bancos dos réus por estes. Dom Geraldo Vieira de Gusmão com sua alegria de pastor intensificou a ação pastoral na Diocese.

 Dom Pedro Brito Guimarães, Arcebispo de Palmas, esteve presente no evento. Dom Pedro apresentou a sua reflexão baseada em Jo 15, 1-9 e na obra de Jorge Bergoglio,  hoje Papa Francisco,  “Sobre o caminho de si mesmo. O caminho da humildade“. Enfatizou Dom Pedro: “A vida da centenária Diocese de Porto Nacional é como um planta que precisa de todo (este) cuidado. Senão não produz frutos. É preciso investir mais na unidade, na reconciliação…”

 Por último, na homília da missa de abertura do ano jubilar, presidida por Dom Romualdo Matias Kujawski, atual bispo diocesano, foi explicado o sentido bíblico-teológico do ano Jubilar. Para Romualdo o ano jubilar é uma grande oportunidade para render graças a Deus, pedir perdão, reconciliar e se comprometer mais com a Igreja, com sua missão evangelizadora. É tempo de paz, do repouso da terra, do descanso da terra, do cancelamento das dívidas, libertação dos cativos, ano da graça do Senhor, tempo de festa, paz e unidade na Igreja.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER