UM MINUTO COM MARIA

O demônio começou a gritar: Eu tenho que me queixar de uma mulher (I)

Após a morte de seu filho, santa Brígida foi transportada para um amplo e magnífico palácio. Ela viu Jesus Cristo, sentado em seu tribunal, e rodeado por uma considerável corte formada por Anjos e Santos. Ao lado d´Ele estava a sua Mãe Santíssima, que ouvia, atentamente, o julgamento.

Aos pés do Juiz, sob a forma de um recém-nascido, ela percebeu a alma de um defunto a tremer, sem poder ouvir ou entender o que estava ocorrendo, mas tendo uma percepção íntima do que acontecia. À esquerda do Juiz, e próximo à alma, estava um Anjo; o demônio se mantinha à esquerda. Porém, nenhum dos dois se aproximava da alma.

O demônio, então, se pôs a gritar: “Escutai, Juiz todo-poderoso. Eu tenho que apresentar queixa sobre uma mulher que é, ao mesmo tempo, Soberana e vossa Mãe, à qual vosso amor deu o poder absoluto sobre o céu e a terra, e sobre nós, demônios do inferno. Ela, injustamente, me arrebatou a alma que está diante de vós. Pois, em boa justiça, eu tinha o direito de me amparar dela, no momento de sua saída do corpo, e de levá-la com meus companheiros, diante do vosso tribunal. Ora, ó justo Juiz, a alma nem tinha ainda saído do corpo ─ assim dizendo ─ quando esta mulher, que é vossa Mãe, pegou-a, cobrindo-a com a sua poderosa proteção, e vo-la apresentou”.

 

 

Em Vie de sainte Brigitte (Vida de Santa Brígida), tomo II capítulo XXXI

 

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

PALAVRA DO BISPO

Dom Romualdo

Bispo de Porto Nacional (TO)

Agenda Diocesana

setembro 2021

dom seg ter qua qui sex sáb
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

FACEBOOK

Assine a nossa newsletter

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This