VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

Os dois servos de Maria (II)…

Então, a Mãe de Deus apresentou ao Senhor o bem-aventurado Domingos. “Eu o aceito ─ disse o Filho de Deus ─, ele fará muito bem e com muito zelo tudo o que dissestes”. Maria apresentou-lhe, em seguida, o bem-aventurado Francisco, e o Salvador o aprovou, igualmente.

Ora, o bem-aventurado Domingos, considerando, atentamente, naquela visão, o companheiro que ele ainda não conhecia, encontrou-o no dia seguinte, numa igreja e o reconheceu, segundo o que havia visto durante a noite. Imediatamente, jogou-se em seus braços, e abraçando-o fortemente, junto ao coração, com santa efusão, disse: “Tu és meu irmão de armas: caminharás comigo com os mesmos passos, e nenhum inimigo prevalecerá contra nós”.

Em seguida, contou-lhe a sua visão e, a partir de então, eles passaram a ser um só coração e uma só alma em Deus; e recomendaram a seus filhos que o mesmo deveria ser feito entre eles, sempre, com todo o amor e reverência, e aquele gesto tão simples deixou, sobre o oceano dos séculos, um indestrutível rasto e as duas milícias mendicantes encontraram naquela união, o símbolo de sua eterna aliança. Este é o motivo pelo qual o Patriarca dos Pregadores tem, em nós, franciscanos, seu lugar e a ele nós oferecemos, igualmente, o título de Pai.

Em Les Fleurs Franciscaines (As Flores Franciscanas), 2ª série, página 187

ASSINE NOSSA NEWSLETTER