VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

Pregação de Advento ao Papa e à Cúria Romana: “Francisco de Assis e a reforma da Igreja”

2013-12-06 Rádio Vaticana Cidade do Vaticano (RV) – O Santo Padre participou, na manhã desta sexta-feira, na Capela Redemptoris Mater, no Vaticano, da primeira

2013-12-06 Rádio Vaticana Cidade do Vaticano (RV) – O Santo Padre participou, na manhã desta sexta-feira, na Capela Redemptoris Mater, no Vaticano, da primeira

2013-12-06 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O Santo Padre participou, na manhã desta sexta-feira, na Capela Redemptoris Mater, no Vaticano, da primeira pregação de Advento, pronunciada pelo Padre Raniero Cantalamessa, pregador oficial da Casa Pontifícia.

Foram convidados para a meditação, também os Cardeais, Arcebispos, Bispos, os Secretários das Congregações, os membros da Cúria Romana e do Vicariato de Roma, Superiores gerais e procuradores das Ordens religiosas, que fazem parte da Capela Pontifícia.

Durante as três primeiras sextas-feiras de Advento, em preparação ao Natal, Padre Cantalamessa, da Ordem dos Frades Capuchinhos, escolheu meditar sobre os seguintes temas: “Francisco de Assis e a reforma da Igreja: o caminho da santidade”, “A humildade de Francisco de Assis: o caminho evangélico de fraternidade e de paz”, “Com São Francisco diante do mistério da Encarnação: a pobreza de Cristo e a de Francisco”.

Na sua primeira pregação, hoje, Padre Raniero meditou sobre o tema: “Francisco de Assis e a reforma da Igreja: o caminho da santidade”, colocando em evidência a natureza do retorno de Francisco de Assis ao Evangelho, ou seja, Francisco como exemplo típico da reforma da Igreja, através do caminho de santidade.

O Frei Capuchinho dividiu o tema desta sua primeira reflexão em quatro pontos: “a conversão de Francisco”; “Francisco e a reforma da Igreja”; “Francisco e o retorno ao Evangelho”; e “Como imitar Francisco”.

A “conversão de Francisco” dependeu da sua decisão de mudar completamente de vida, a partir do mandamento evangélico: “Ama ao próximo como a ti mesmo” e “se quiser ser perfeito, vai e vende tudo e dá aos pobres e, depois, vem e segue-me”. Logo, o Pobrezinho de Assis passou de uma vida de riqueza social a uma pobreza radical, compartilhando da vida dos últimos, dos excluídos, dos aflitos e necessitados.

Ao ter optado por Cristo, na pessoa dos pobres, Francisco reuniu alguns companheiros, com os quais procurou “reformar a Igreja”, a partir do seu aspecto institucional: “Vai e constrói a minha Igreja, que está em ruína”. Ele, então, começou com a reconstrução material da igrejinha de São Damião. Mas, Deus queria dele uma reforma, no sentido mais profundo e institucional, mediante o caminho da santidade.

Desta forma, Francisco de Assis levou a sério o Evangelho: “Vá anunciar a todos o Reino de Deus e curar os doentes… sem levar nada consigo”. Logo, um “retorno simples e radical ao Evangelho”, pregado pelo próprio Jesus: restabelecer a forma e o estilo de vida de Jesus e dos Apóstolos no mundo. Eis o verdadeiro programa de Francisco para renovar o rosto da Igreja, através da santidade e da penitência.

Por fim, Padre Raniero Cantalamessa apresentou, para a reflexão do Papa e da Cúria Romana, um último ponto: “Como imitar Francisco” em nossos dias. Para uma verdadeira reforma da Igreja, o pregador sugeriu começar por uma “conversão pessoal, renegando-se a si mesmo e seguindo a Cristo”. Para atingir a alegria e a paz da vida cristã, no seio da Igreja e no mundo, concluiu o Capuchinho, é preciso dizer: “Não sou mais eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim!”. (MT)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER