VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

Quando Maria visita sua prima Isabel

Após ter anunciado a Maria o mistério da Encarnação, o arcanjo Gabriel confiou-lhe que sua prima Isabel, já em idade avançada e, até então, estéril, daria à luz um filho, que nasceria em três meses e isso, por meio de um novo prodígio. Maria, logo se pôs a caminho, para felicitar aquela feliz mãe.

Sua viagem não teve como motivo um sentimento humano. Em seu corpo, Maria levava Jesus, todas as riquezas e todas as alegrias do Céu; Isso lhe bastava e nenhuma carência ou necessidade agitava o seu coração; apresentava-se a Ela, um dever de terna caridade, para ser compartilhado; ela o sentia, igualmente, como um exercício de zelo e uma ocasião para glorificar a Deus.

Além disso, o Espírito Santo a conduzia: o encontro das duas futuras mamães e, sobretudo, das duas crianças que tinham em seus ventres, estava nos desígnios da Providência. Assim, Maria se apressou, expondo-se às fadigas de um longo caminho. Ela foi, apressadamente, às terras montanhosas da Judeia, à vila onde Zacarias morava, para visitar Isabel. Assim que Maria e Isabel se encontraram, o menino de Isabel saltou no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com grande contentamento, Isabel exclamou, dirigindo­se a Maria: “Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre!”. Palavras que a Igreja inseriu na “Ave Maria” para delas criar uma das mais belas orações cristãs; palavras que sempre ecoarão, em toda parte e por todos os séculos!

Assim, a missão de Jesus teve início, antes do seu nascimento; ele santificou João Batista no seio de sua mãe; pois, este estremecimento sentido por Isabel, anuncia o Profeta que se tornaria o seu Deus e anuncia o Precursor, que reconhece o Salvador.

Abade Jaud

ASSINE NOSSA NEWSLETTER