VATICANO

VATICANO

CNBB

REGIÃO NORTE 3

Um santuário mariano em pleno renascimento, na Provence (França)

A aldeia de Bargemon, situada no Var (França), é um dos lugares que recebeu aparições de Maria, na Provence e foi importante centro de peregrinação até o momento em que a Revolução Francesa ordenou que fosse encerrado, em nome do laicismo militante.

Atualmente, o santuário está reencontrando todo o seu esplendor, desde que um novo cura foi nomeado para a paróquia de Bargemon, isso há seis anos. E nela ele recolocou a Mãe de Deus para que fosse honrada. Desde então, os peregrinos afluem e uma comunidade de 42 refugiados cristãos, vindos do Iraque participam, ativamente desta renovação!

Eis o testemunho do cura de Bargemon, padre Philippe-Marie Métais Fontenel:

“Eu havia solicitado ao bispo, uma paróquia sem vida, abandonada. Ele logo pensou em Bargemon! Ao lá chegar, descobri que aquela aldeia havia sido a sede de um importante santuário mariano internacional, nos séculos XVII e XVIII. Milhares de peregrinos chegaram aqui, mas muitos já se haviam esquecido do santuário.

Rezei, então, à Virgem Maria e fui sentindo, pouco a pouco, que ela queria que o santuário revivesse. Enquanto o santuário ia conhecendo o seu renascimento, a indignação do Papa Francisco pelas igrejas abandonadas me tocou muito. Ele não conseguia entender o motivo de tantas igrejas estarem vazias e pedia que as pessoas mais necessitadas nelas fossem acolhidas. Em meu presbitério, de 900 m² habitáveis, eu me sentia particularmente relacionado ao seu apelo!

Reuni uns trinta benévolos e, juntos, nos preparamos para acolher refugiados cristãos do Iraque. Nós nos apoiamos na Palavra de Deus: ‘Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo’. (Mateus 6, 33). Quanto ao financiamento desta acolhida, a paróquia não precisou dar um centavo, e nós não solicitamos nenhuma subvenção; Sem nada pedir, conseguimos receber 500.000 euros em três anos.

Assim que chegaram, os refugiados foram incluídos na vida paroquial. Eles passaram a participar, naturalmente, das missas e das atividades da paróquia. A Virgem Maria deseja fazer da aldeia um novo oásis de vida cristã. Para isto, é preciso recolocar a caridade em seu âmago. Os iraquianos puseram mãos à obra e se ocupam, assim como as pessoas da aldeia, das lojas gratuitas que criamos: uma mercearia, um depósito de móveis e de vestimentas. De todos os lados da paróquia há o afluxo dos menos favorecidos!”

Em francês, Aleteia

ASSINE NOSSA NEWSLETTER